Home > Blog > Detetives > Quanto custa contratar um detetive?

Quanto custa contratar um detetive?

Quanto custa contratar um detetive? Você está se fazendo essa pergunta neste momento? Não quer perguntar a ninguém e precisa de um profissional de confiança?

Se você está precisando de um detetive particular, vale a pena conhecer os detalhes deste trabalho e como o preço é estipulado. Confira agora mesmo como um profissional de investigação avalia cada caso, quais são os resultados possíveis de garantir e em quais situações vale a pena contratar um detetive e, claro, como contratá-lo.

Discrição é mesmo uma prerrogativa? Como saber se o profissional é de confiança? São muitas as variáveis para um investigador determinar o preço de um caso. Para estabelecer essas variáveis, o detetive leva em conta, a priori, o tipo de caso – por exemplo, se é suspeita de adultério ou desaparecimento de uma pessoa importante para o cliente.

Outros casos podem ser também: suspeita de empregados, roubo ou maus tratos de pessoas vulneráveis (crianças ou idosos), assim como a verificação das companhias dos filhos em suspeita de uso de drogas.

Há também os casos de investigação empresarial, suspeitas de desvios ou mesmo apenas checagem para compras, fusões ou vendas de empresas. Principalmente no Brasil, esse serviço é fundamental.

Com uma investigação feita por profissionais capacitados, descobrem-se funcionários desonestos, irregularidades de processos, entre outros possíveis entraves que podem prejudicar a reputação da empresa. É importante ressaltar que nestes casos o detetive sempre deve contar com assessoria jurídica.

Depois desse levantamento prévio, o detetive mapeia os locais onde deve investigar; faz uma coleta de informações e o levantamento das provas, tanto as que o cliente já tem como as possíveis de conseguir rapidamente.

Depois disso é que começam os trabalhos iniciais. Com essas informações prévias, a agência de inteligência – ou escritório de investigação particular – estabelece um preço, que pode ser diário ou fechado, considerando todo o caso. O dia de trabalho de um detetive normalmente significa estar presente – sem ser notado, evidentemente – junto a quem se desconfia. Além dos equipamentos usuais, o profissional usa várias técnicas de espionagem, lógica, dedução e indução.

No caso, por exemplo, de suspeita de traição conjugal, a investigação é feita por meio da vigilância do cônjuge suspeito. Tudo é gravado por equipamentos investigativos de última tecnologia, que implica em aparelhos de monitoramento via satélite, máquinas fotográficas, filmadoras e Drones.
Com isso, tudo aquilo que o suspeito fizer ou falar, onde for e com quem estiver, será anotado, filmado ou fotografado. Ainda que aparentemente não signifique nada, é importante tanto para constatar a suspeita de traição como para provar que o cliente se equivocou em suas desconfianças.

Quando o assunto é acordo pré-matrimonial – ou pré-nupcial – um detetive particular pode atuar da mesma forma. Famílias que têm patrimônios devem sempre se precaver quando casam filhos ou netos. Esse levantamento consiste em checar a vida pregressa dos noivos, principalmente se apontam imoralidades – sejam elas quais forem.

Como pode notar, há muito o que verificar antes de precificar o serviço de investigação particular. Além de cada profissional estabelecer o preço que acha devido – que pode variar também de acordo com a cidade onde atua – o detetive precisa avaliar todos esses detalhes.

Contudo, em média, os casos de investigação de suspeitas de adultério varia de R$ 800, 00 a R$ 20,000, 00.

Já os de investigação empresarial, de R$ 7.000, 00 a R$ 100.000, 00, considerando, inclusive, se haverá necessidade de “plantar” um profissional disfarçado dentro da empresa.

Desaparecimentos podem ser mais simples ou mais complexos, então, também dependem de uma avaliação pormenorizada. Entretanto, costumam custar de R$ 1.500, 00 a R$ 20.000, 00.

Na hora de escolher o profissional, é sempre importante levar em conta indicações – se for possível – ou atentar para detalhes como idoneidade, que se pode medir no primeiro contato pessoalmente, ao tirar dúvidas.

Por isso jamais contrate um detetive apenas depois de uma ligação telefônica. Leve em consideração o local onde o profissional mantém o escritório e se ele possui assessoria jurídica. É importante que ele saiba não apenas os seus direitos e deveres como os direitos e deveres do suspeito.

Outro detalhe importante são os equipamentos. Se for possível, cheque quais equipamentos esse detetive possui e se sabe as consequências de usá-los.

Por fim, marque uma reunião presencial e converse com calma com o profissional, tirando assim todas as dúvidas. Não tenha nenhum receio ou constrangimento de fazer perguntas.

Postado em 11/09/2018